Programação

JANEIRO DE 2019

Café Concerto- The Nu- Bossa Band


11 de janeiro | 21h30

The Nu-Bossa Band é um quarteto com os portugueses Inês e José Gonçalves e os ingleses Thomas e Ben. O setlist é composto por música latina e afro-cubana de várias décadas, constituindo-se numa interpretação fiel da música latina clássica e moderna.

Este café concerto começa com uma pequena conversa, com cerca de 15 minutos, cujo intuito é fazer-se uma breve aproximação da linguagem musical utilizada por estes géneros musicais, o seu contexto histórico-social.

Ficha Artística | Membros da banda
Inês Gonçalves
José Gonçalves
Benjamin Fitzgerald
Thomas Dixon

Preço: Gratuito
Duração: 75 minutos
M/ 3 anos

Jazz Latino, Bossa-Nova e Samba- que música é esta? 
é uma pequena conversa de introdução ao Café Concerto cujo intuito é fazer-se uma breve aproximação da linguagem musical utilizada por estes géneros musicais, o seu contexto histórico-social. Começa às 21h15. 

ABBA MIA- Tributo a ABBA


12 janeiro | 21h30 | Auditório

O tributo que faltava em Portugal! 
Formados em outubro de 2012, os ABBA MIA trazem aos palcos portugueses a fantástica música dos ABBA, através das mais doces vozes femininas e dos melhores músicos em Portugal. 

Fundados pelos mesmos integrantes e pioneiros em tributos em Portugal - os ONE VISION - Tributo a Queen - este projeto tem o selo do sucesso e qualidade garantida, onde todos os instrumentos e vozes são executados ao vivo sem recurso a faixas previamente gravadas. 

A banda estreou-se da melhor forma a 29 de agosto de 2013, no Almada Fórum, em frente a uma completa festa com a participação ativa de milhares de pessoas, batendo todos os recordes de assistência até à data. 
Desde então não mais pararam, fazendo sucesso nos Casinos Solverde, nas festas anuais de Pedrogão Grande, Elvas, Vila Viçosa, Constância, Sardoal, São Pedro de Sintra, Vila Velha de Rodão, Manteigas, Portel, Trancoso, Alpiarça, Colmeias, etc. Tudo isto, logo no 1º ano!!!!!
No 2º ano de existência, os ABBA MIA sobem ainda mais o nível e fazem o espetáculo de Réveillon no Casino Estoril.
Este é sem dúvida O TRIBUTO que faltava em Portugal! Os ABBA venderam 350 milhões de álbuns em apenas 10 anos de existência. Todos os êxitos do grupo sueco estão agora disponíveis, num só espetáculo com banda ao vivo. 

Ficha Artística:
Voz: Diana Abreu - Agnetha Fältskog;
Voz: Bia Almeida - Anni-Frid Lyngstad; 
Voz e piano: Alex VanTrue - Benny Andersson; 
Voz, guitarra: Jorge Sousa - Björn Ulvaeus;
Baixo: Jose Fusco; 
Bateria: Mário Duarte. 

Bilhete: 5€ à venda nos lugares habituais
Duração: 90 minutos
M/ 6 anos

Café Concerto Luiz Caracol | Metade e Meia (Circuito Outonalidades)

25 de janeiro | 22h00
Luiz Caracol- Metade e Meia (Circuito Outonalidades)

O concerto do Luiz Caracol é uma espécie de viagem sonora ao seu imaginário enquanto músico e cantautor, onde estão presentes as misturas e mestiçagens que a sua música tem, e onde os momentos intimistas se misturam muito bem com os momentos mais enérgicos e dinâmicos.

Mais Info em: https://www.luizcaracol.com
https://www.facebook.com/luizcaracoloficial
Link Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=sSA6_FP5-kE

Ficha Artística 
Luiz Caracol: Voz, guitarra;
Ruca Rebordão: Bateria, percussão;
Xico Santos: Baixo.

Preço: Gratuito
Duração: 75 minutos
M/ 3 anos

FEVEREIRO 2019

Para Vós- Um solo coral sobre o lugar onde vivem as memórias / performance


2 e 3 de fevereiro | 21h30 vs 15h00
Auditório

Para os meus avós. Mais especificamente sobre as minhas avós. Para todos os avós ou para todos nós, que um dia, talvez, seremos também avós. Para os avós dos meus filhos (como seria o mundo se tivéssemos crescido todos sem avós?)Para a voz. Para a minha voz. Que se lance, que se solte, e talvez em alguma primavera, floresça.Para as vozes que se não falam agora serão, talvez, esquecidas para todo sempre. Sobre as nossas raízes. Sobre a voz humana que é ancestral. Sobre histórias de outros tempos que não estão escritas nos livros, mas semi-enterradas em algum lugar recôndito da nossa memória. Sobre o que é intemporal. Sobre os mistérios do sangue.
Este é um espetáculo sobre os meandros da memória. Sobre as memórias das minhas avós ou mais exatamente sobre a minha memória das memórias delas.


Ficha Artística Criação e Direção Artística: Claudia Andrade; 
Interpretação: Claudia Andrade e sete seniores; 
Apoio à Encenação: Montse Bonet; 
Apoio à Dramaturgia: Joana Bértholo;
Direção de Produção: São Correia; 
Vídeo e Registo Fotográfico: Patrícia Poção; 
Figurinos: Ruy Malheiro; 
Assistência Artística: Mafalda Alexandre; Banda Sonora: Fernando Mota; Desenho de Luz: Pedro Fonseca;
Design: Silvia Franco;


Co-produção: A Caravana Associação Cultural, Centro de Arte de Ovar, Companhia de Actores, Centro de Artes de Águeda, Centro Cultural/ Município de Lagos, Centro das Artes e do Espectáculo de Sever do Vouga. 


Preço: 5€ | 4€ (d.h)
Duração: 75 minutos
M/ 12


Conversas de Corpo - Espetáculo- Instalação

8 e 9 de fevereiro | 9h30 10h45 e 10h30

Conversas de Corpo é um espetáculo-instalação para e com crianças dos 0 aos 3 anos, suas famílias e amigos. Criado numa relação direta com o público, é um acontecimento aberto permeável ao encontro no qual os gestos da dança contagiam os corpos das crianças e de quem as acompanha, gerando um momento único de conexão entre todos. Ao longo de 45 minutos acompanhamos o encontro entre dois seres e as suas ressonâncias no tempo, no espaço e em nós próprios. Neste lugar não há hierarquias entre quem dança e quem acompanha, há um fazer-acontecer em conjunto. O chão é coberto por diferentes texturas como papéis, plástico-bolha e tecidos: podia ser o chão da casa, do quarto, do parque. Alguns instrumentos musicais fazem parte desta viagem e parecem-se com brinquedos. Aqui é possível uma multitude de interações: correr, gritar, agarrar, largar, cantar, bater palmas, desenhar, enrolar, desenrolar, saltar, cair, levantar, arquitetar, mergulhar, dobrar. Uma conversa entre corpos que se completa no momento do encontro entre todos nós.

Ficha artística e técnica
Intérpretes criadores: Clara Bevilaqua e Guilherme Calegari;
Direção Artística: Fernanda Bevilaqua;
Iluminação: Guilherme Calegari;
Adaptação do desenho de luz: Sérgio Moreira - Teatro da Trindade;
Acompanhamento artístico e logístico: Mariana Lemos;
Apoio à criação: Uai Q Dança CIA – Brasil;
Apoio: c.e.m - centro em movimento;
Produção: Lysandra Domingues / LAGOA;
Projeto apoiado pela Câmara Municipal de Lisboa em 2018 para temporada no Teatro da Trindade - Fundação INATEL – Lisboa.

Preço
Dia 8: gratuito;
Dia 9: 5€ /família (bebé/criança, pai e mãe).
Duração: 45 minutos
Destinatários: 
8 de fevereiro para bebés e crianças dos aos 3 anos (IPSS); 
9 de fevereiro para bebés e crianças dos 0 aos 5 anos e família.


Os Livros do Rei de Raimundo Cosme


13, 14 e 15 de fevereiro | 10h30 vs 14h00

Em Os Livros do Rei, David Machado escreve e Gonçalo Viana ilustra a história de um príncipe que sobe ao trono após a morte do pai num terramoto que destruiu a cidade por completo. Apaixonado pela literatura e crente na possibilidade de criar um mundo melhor – a partir das imagens maravilhosas que guardava das suas leituras – o príncipe decide imaginar, projetar e (talvez até) reconstruir a sua cidade. Este é um espetáculo sobre a reconstrução sobre a destruição, a possibilidade de sonhar o impossível, a arquitetura, sobre não haver nenhuma impossibilidade na arte e, ainda, sobre o papel desta na construção do amanhã. 
Um projeto que habita entre a literatura, o teatro e a ilustração.
Criação: Raimundo Cosme; Texto: David Machado;Cenografia: Gonçalo Viana; Sonoplastia: Van Ayres; Figurinos: Mariana Sá Nogueira;Direção de Produção: Raquel Bravo; Apoios: Câmara Municipal de Lisboa, Cão Solteiro, Temps d’Images Lisboa e Lanternas do Céu; Residência Artística: Clube Português de Artes e Ideia e Cão Solteiro; Baseado na Obra: Os Livros do Rei, de David Machado, publicada por Alfaguara Infantil – Penguin Random House Grupo Editorial. 

Coprodução: Plataforma285, Centro das Artes e do Espectáculo – Município de Sever do Vouga e São Luiz Teatro Municipal.A Plataforma285 é Artista Associado d’O Espaço do Tempo.

Preço: GratuitoDuração: 30 minutos/ sessãoAlunos do Ensino Pré Escolar de Sever do Vouga


Workshop A Construir o Futuro 


15 de fevereiro | 15h00

A partir da ideia de projetar utopicamente uma cidade sem quaisquer barreiras de exequibilidade, a proposta é que, em grupo e a partir de problemas concretos, as crianças tenham a possibilidade de propor a sua própria cidade.
Em primeiro lugar, o todo tem que encontrar aqueles que são, na sua opinião, os maiores problemas do mundo.
Depois a cada grupo é atribuído um desses problemas, para que e, segundo as lógicas do espetáculo que acabaram de ver, em conjunto uma solução e apresentam-na de forma criativa no final.

Orientação: Raimundo Cosme 
Duração: 60 minutos
Destinatários: Máximo 60 crianças dos 3 aos 6 anos

Cafe Concerto- Kimi Djabaté (Circuito Outonalidades)

28 de fevereiro | 22h00 | Cafetaria

Kimi Djabaté é um músico Guineense, nascido em Tabato em 1975. O músico é considerado uma das ligações contemporâneas à preciosa herança da música tradicional griot, que emerge com seus ancestrais na região Ocidental de África. Em 2005, lança o seu primeiro álbum a solo, “Teriké”, e, em 2009, o seu segundo álbum, “Karam”, assinado pela editora americana Cumbancha. Desde então que Kimi Djabaté tem vindo a ser presenteado com excelentes críticas da imprensa Internacional (Billboard, Financial Times, Boston Globe, entre outros). 
Em 2016, lançou o seu terceiro disco, “Kanamalu”.

Mais informações em: 
http://kimi-djabate.com 
https://www.facebook.com/kimidjabate

Ficha Artística
Kimi Djabaté: voz, guitarra, balafon e kora

Preço: Gratuito
Duração: 75 minutos
M/ 3 anos

MARÇO 2019

Oficina de Teatro Documental 

2 de março |  09h00 às 13h00 

Oficina de Teatro Documental, dirigida aos elementos dos grupos de teatro amador de Sever do Vouga, por André Amálio (Hotel Europa). 
Nesta oficina será explorada a forma como se pode aliar uma experiência de criação artística à investigação académica de metodologia historiográfica, como a pesquisa de arquivo e história oral.

André Amálio
Insere-se no novo teatro documental, aliando a experiência artística à investigação académica. Desenvolveu um ciclo de espetáculos sobre o colonialismo português: “Portugal Não é Um País Pequeno”, um projeto que reflete sobre a ditadura e a presença portuguesa em África; “Passa-Porte”, sobre o fim do colonialismo português; “Libertação”, sobre o fim do colonialismo e a independência conquistada pelos países colonizados.

Preço: Gratuito
Inscrições até dia 1 de março pelo email centrodasartes@cm-sever.pt

PASSA- PORTE Companhia Hotel Europa 

2 de março | 21h30 | Caixa de Palco

Passa-Porte é um espetáculo de teatro documental que reflete sobre o fim do colonialismo português e as suas consequências na vida das pessoas que chegaram a Portugal e da forma como foram recebidas; reflete sobre a condição de refugiado ao retratar a situação das pessoas que chegaram de África anos 70, olhando também em particular para os Africanos que chegaram das antigas colónias portuguesas e a quem foi negado um passaporte português, sendo forçados a viver como emigrantes. 
É uma viagem feita através de testemunhos reais pela histórica recente em Portugal.

Ficha artística e técnica
Criação: André Amálio; 
Cocriação e interpretação: André Amálio, Selma Uamusse, Tereza Havlickova;
Movimento: Tereza Havlickova;
Interpretação musical: Selma Uamusse;
Espaço cénico: André Amálio e Tereza Havlickova;
Colaboração: Pedro Silva
Desenho de luz: Carlos Arroja
Produção: Hotel Europa

Coprodução: Maria Matos Teatro Municipal
Apoio Fundação GDA
Apoio à residência Alkantara e O Espaço do Tempo

Preço: 5€ | 4€ (d.h.)
Duração: 90 minutos
M/ 12 anos

Vou Levar-te Comigo



16 de março | 21h30

A Rita e o Chico, um ex-casal de atores de mérito reconhecido pelo grande público decide fazer “qualquer coisa” que os perpetue na memória coletiva dos portugueses. Contratam uma guionista que através das canções das suas vidas consiga contar a história do encontro dos dois e do grande amor que viveram. Vitória, a guionista, é também a encenadora do espetáculo. Tem grande dificuldade em escrever seja o que for e a começar os ensaios, porque a Rita e o Chico, são muito fantasiosos, são megalómanos, têm um ego do tamanho do mundo e cada vez que contam um facto contam-no sempre de modo diferente, além de inventarem acontecimentos que não viveram , mas que lhes parece bom para engrandecer a história das suas vidas. Assim se inicia o espetáculo que se desenvolve através das memórias dos dois atores. Começam com recordações muito antigas dum passado comum em Angola. O nascimento de Rita no Rio de Janeiro é pretexto para uma quente e frenética passagem pela bossa nova e pelo samba. Itália está presente pela carga emocional das cartas que trocaram durante uma longa e dolorosa separação. Depois Chico inventa uma passagem por Paris, ela insiste na sua paixão pelo Raphael, fingem que viveram em Londres e cantam uma canção dos Beatles. Acabam da melhor maneira, num meio que ambos conhecem, dominam e amam como ninguém: Lisboa e o Parque Mayer. “Vou levar-te comigo” é um espetáculo divertido, essencialmente musical que, através de canções de várias épocas, joga com a memória coletiva do público português. Os três atores dividem o palco com três músicos.


Ficha artística e técnica
Criação: José Raposo Interpretação: José Raposo, Sara Barradas e Vera Mónica;Interpretação musical: Luís Neiva e André Galvão sob a direção de Artur Guimarães;Produção: Ana Balbi
M/ 6 anos

Preço: 5€ 
Duração: 90 minutos

JP Simões | Bloom (Circuito Outonalidades)



21 de março | 22h00 | Cafetaria

BLOOM é a nova metamorfose de JP SIMÕES, cantor e compositor português que passou por variados projetos como Pop dell'Arte, Belle Chase Hotel ou Quinteto Tati, e que nos últimos anos tem editado a solo. "Tremble Like a Flower”, disco de estreia de BLOOM, foi coproduzido por Miguel Nicolau (Memória de Peixe) e foi lançado em finais de 2016.

“JP Simões reinventa-se, mudando tudo: nome, língua, referências. O produto final é de uma beleza perturbadora que nos causa arrepios.” (Revista Altamont) Bloom é um projeto maturado ao vivo e tem uma imensa força onírica em palco, fazendo-nos viajar da mais doce intimidade até às florestas virgens dos confins do universo.

Mais Informações em
https://meetingbloom.bandcamp.com
https://www.facebook.com/meetingbloom

Ficha Artística 
JP Simões: voz, guitarra e composição.
Preço: Gratuito
Duração: 75 minutos
M/ 3 anos

Re:Flexus Trio 

Concerto de Música de Câmara com conversa no final do concerto “A minha experiência com a música erudita". 

22 de março | 21h30 | Caixa de Palco

O Re:Flexus Trio surgiu do encontro espontâneo entre três instrumentistas que frequentaram a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto. Desde então, têm trabalhado predominantemente o repertório clássico, romântico e contemporâneo que junta os três instrumentos – clarinete, viola d’arco e piano - numa formação camerística bastante sui generis.
A sua estreia ocorreu, em 2017, no Teatro Helena Sá e Costa, no âmbito do Festival ESMAE – evento dedicado, sobretudo, à apresentação e divulgação de jovens grupos de música de câmara.

Ficha Artística 
Ana Sofia Matos: clarinete;
Mariana Morais: viola d'arco;
Maria Isabel Mendonça: piano.

Trio Collinus

Concerto de Música de Câmara seguido de conversa no final "A Minha Experiência com a Música Erudita"




23 de março | 21h30 | Caixa de Palco

O Trio Collinus formou-se em 2016 na LUCA School of Arts, campus Lemmens em Leuven (Bélgica). 
Além de alguns concertos dados na Bélgica, também atuaram na Grécia. 
Os seus caminhos cruzaram-se após cada um dos elementos ter experienciado a sua vida musical em outros lugares. 
Antes de entrar para a turma de Alan Weiss em Leuven, Marilena Souri (piano) formou-se no Conservatório Helénico de Atenas e na Schola Cantorum de Paris (Prof. Agathe Leimoni). Ganhou o primeiro prémio no Concurso Nacional de Piano de CH.O.N. em Atenas (2010) e primeiro prémio no 8º Concurso Internacional para jovens músicos em Castellamare di Stabbia, Itália (2013). 
Sandra Pereira (clarinete) finalizou os estudos em clarinete com Roeland Hendrikx na LUCA. Antes de estudar em Leuven, estudou na Universidade de Évora (Portugal) e no Conservatório Real de Haia (Holanda), onde foi orientada por Pierre Woundenberg. Tocou em várias orquestras sinfónicas e bandas em Portugal, o que lhe deu a possibilidade de tocar em diferentes países da Europa (Portugal, Espanha, Holanda). Em 2014, ganhou o segundo prêmio no Concurso Nacional de Clarinetes “Sons de Cabral”.
Depois de ter tido aulas particulares com Liviu Prunaru na Bélgica, Sarah Vandemoortele (violino) mudou-se para Londres para estudar na Royal Academy of Music com Remus Azoitei e Mayumi Fujikawa. Lá, desenvolveu o seu interesse na pesquisa sobre a prática de fazer música. Após ter concluído os estudos de musicologia na Universidade de Leuven, iniciou um projeto de pesquisa de doutorado na LUCA School of Arts, onde conheceu Marilena Souri e Sandra Pereira. Sua pesquisa prende-se com a maneira como os músicos usam seus olhos quando tocam música juntos. As suas experiências com o Trio Collinus formam a base para sua pesquisa artística.
Ficha Artística 

Sandra Pereira: clarinete;
Sarah Vandemoortele: violino;
Marilena Souri: piano.

Preço: 5€
Duração: 75 minutos
M/ 3 anos

O Teatro Não Tem Idade- Celebração do Dia Mundial do Teatro


27 de março | 14h00 | Auditório

Há alguns anos a esta parte que celebramos o Dia Mundial do Teatro com os seniores das IPSS de Sever do Vouga, procurando deste modo, envolver, valorizar e estimular os saberes e as práticas artísticas dos severenses de mais idade.
Preço: Gratuito 
Duração: 120 minutos
Público em Geral




PROGRAMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2018




PROGRAMAÇÃO JUNHO E JULHO 2018




Comentários