quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

MARIA - PERFORMANCE de ÚTERO ASSOCIAÇÃO CULTURAL

17 a 21 de Fevereiro | ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE SEVER DO VOUGA

A peça está centrada na figura de uma adolescente de 14 anos. Vive a maior parte do tempo fechada no seu espaço (o seu quarto). Comunica para o exterior com recurso à tecnologia – Internet, telemóvel. Apaixona-se também assim dessa forma,
o que a faz questionar o lugar que o seu corpo ocupa. Ao mesmo tempo conhece uma amiga palestiniana num Chat que a faz reflectir sobre o papel do homem no mundo.
Questionar o corpo. A sociedade. Reflectir o fenómeno do crescimento. Das relações que nos aparecem ao longo do crescimento. A relação que mantemos com as pessoas que nos circundam. A arte como forma de expressarmos o nosso ser, como forma de nos reconhecermos no mundo. 


A Associação Cultural Útero 
“O projecto Maria estreou em 2006. Achámos que as nossas criações deviam invadir as escolas. Confrontar os adolescentes com temas que tanto os atormentam – o amor, a politica, a sociedade. É um momento fundamental para o desenvolvimento dos jovens. Criámos um espectáculo de relação directa (para apelar há participação dos alunos) e com o uso das novas tecnologias que tanto tem alteradoa a relação entre as pessoas.
Porquê? O Útero Associação Cultural tem treze anos. Ultimamente temos sentido uma necessidade de alargar a nossa intervenção. Apesar de a criação de espectáculos continuar a ser o núcleo principal da nossa actividade, quisemos também apostar num mais profundo trabalho teórico e de pensamento, bem como apostar na formação e consequentemente na criação de novos públicos. A experiência adquirida através do contacto com o público mais jovem com alguns dos anteriores trabalhos do Útero enriqueceu-nos e levantou-nos questões muito profundos sobre a nossa maneira de trabalhar e apresentar os nossos espectáculos. Propusemo-nos realizar um espectáculo direccionado ao público mais jovem.


Para Quem? Para jovens dos 12 aos 18 mas também queremos abranger todo o público. Acreditamos que uma educação que valorize a sensibilidade, a inteligência sensível, a expressão artística, formará homens e mulheres totais, tolerantes.


Como? Não abdicando da nossa linguagem, da nossa forma de expressão, do nosso processos, quisemos experimentar expormo-nos à criação para um público e uma faixa etária que não nos era habitual. Assim, propusemo-nos “invadir” a escola, a serra, a aldeia. Quisemos levantar questões, suscitar dúvidas.”
Ficha Artística e Técnica: 

Direcção: Miguel Moreira 
Direcção de Ensaios: Sara de Castro
Interpretação: Catarina Felix
Vídeo | Tecnologia | Criação de Objecto Cenográfico: Helder Cardoso
Apoio Dramatúrgico: Rui Horta Música: Rui Bentes 


Alunos dos 12 aos 18 anos | Gratuito


Sem comentários:

Enviar um comentário